AQUÁRIOS


Underneath the Shark - Mike Liu


RAZÕES PELAS QUAIS AQUÁRIOS DEVEM SER BOICOTADOS

Imagine que você vive com sua família e amigos, até que um dia alguém vem e te leva para longe. Seus capturadores te mantém preso dentro de uma caixa de vidro, alimentando-o com comida estranha. O ar na caixa é diferente do que você está acostumado a respirar e te põe doente. Grupos de pessoas passam e olham para você através do vidro, todos os dias durante anos, mas ninguém nunca ajuda você a escapar.


Isso soa muito como um pesadelo ou filme de terror? Infelizmente para inúmeros animais presos em aquários, esse pesadelo é uma realidade. Aqui estão algumas realidades que mostram que não há diversão nos passeios pelos aquários do mundo todo:


Dolphin Aquarium
1. SEPARAÇÃO DE SUAS FAMÍLIAS

Na natureza, orcas passam suas vidas inteiras com suas mães e irmãos. Outros golfinhos selvagens também vivem juntos em grupos familiares.

Mas os aquários dão pouca atenção ao bem-estar dos animais, roubando-os de seus entes queridos. Para pegar um golfinho da idade de reprodução, barcos são usados na perseguição em águas rasas, onde os animais são cercados com redes e, em seguida, içados para os barcos. Todos os anos, durante a cruel caçada aos golfinhos em Taiji, no Japão, centenas de golfinhos são capturados - seja para serem abatidos para consumo de sua carne ou vendidos para aquários e parques marinhos em todo o mundo.

Aquários que criam animais em cativeiro não são menos piores. Os animais nascidos em cativeiro são condenados a uma vida de miséria em tanques e muitas vezes têm de suportar o estresse de serem levados para longe de suas mães e enviados para diferentes instalações.

Animais de cativeiro são inseminados artificialmente à força. Isso significa que são sexualmente estimulados - uma grave violação de sua natureza, em outras palavras, esses inocentes animais são abusados sexualmente.


2. AQUÁRIOS NÃO BENEFICIAM ANIMAIS

Muitos aquários alegam que ajudam os animais. Por exemplo, visitantes do Aquário Mystic de Connecticut pagam para "pintar" as belugas, e a empresa divulga o programa como "enriquecedor" para os animais, em vez de admitir que o dinheiro é a verdadeira motivação.

Recentemente, o Jardim Zoológico de Pittsburgh & Aquário de PPG usaram a mesma desculpa quando utilizaram pinguins vivos num jogo de NHL, na comemoração com fogos de artifício. A experiência foi aterrorizante para os animais - você podia ver o medo em seus olhos enquanto tentavam se afastar das explosões.

Aquários em todo o mundo fazem exatamente o oposto de ajudar os animais. Estudos mostram que 90% dos animais mantidos em aquários demonstram comportamento neurótico. Isso significa que eles acabam enlouquecendo em cativeiro por muitas razões: separação da família e do habitat natural, treinamentos forçados, agressão física, tédio pela vivência forçada em quartos de vidro, onde só o que podem fazer é nadar em círculos por horas a fio.


SeaWorld - Encontro com o Tubarão
3. SOFRIMENTO FÍSICO E EMOCIONAL

Cativeiros causam não somente estresse mental para os inocentes peixes, mas também são fisicamente prejudiciais para eles. O cloro e o sulfato de cobre usados ​​para manter os tanques limpos causam descamação da pele dos golfinhos e podem causar cegueira neles e nas focas.

Muitos mamíferos marinhos sofrem de úlceras pépticas causadas pela frustração do cativeiro, muitas vezes resultando em morte. O noticiário Sun Sentinel da Flórida analisou 30 anos de documentos federais sobre animais marinhos e descobriu que cerca de 4.000 leões marinhos, focas, golfinhos e baleias morreram em cativeiro, e dos 2.400 casos em que a causa da morte foi listada, um em cada cinco animais morreram de perigos exclusivamente humanos ou causas aparentemente evitáveis.

Se esses números não são perturbadores o suficiente, um biólogo comportamental de mamíferos marinhos em Seattle diz que "golfinhos em cativeiro podem exibir trauma auto-infligido" e que muitos derivam na superfície da água e mastigam o concreto até destruírem seus próprios dentes.

 
 Atlantis Dolphin Cay Shallow - 
Atividades interativas
4. ATRAÇÕES INTERATIVAS CRUÉIS

Muitos aquários oferecem atrações interativas como tirar fotografia com o visitante tocando nos animais, nadar com os peixes, receber beijo ou abraço do animal e outras atrações forçadas similares.

Arraias e outros animais marinhos são extremamente sensíveis ao toque. Elas não têm a oportunidade de forragear para longe do contato humano como normalmente fariam em seu habitat natural. Para piorar, suas farpas são aparadas ou removidas, deixando-as indefesas. Elas ficam sujeitas a assédio constante de seres humanos que as tocam durante todo o dia, o que não é apenas antinatural - também é insalubre. 

As arraias têm um revestimento mucoso natural na pele que as protege de patógenos perigosos, que é facilmente danificado quando os seres humanos a tocam. Essas atrações invadem os mundos já miseráveis ​​dos animais e são intrusivos, estressantes e perigosos para eles - para não mencionar arriscados para os seres humanos participantes.

 

5. NÃO HÁ NADA EDUCACIONAL NOS AQUÁRIOS

Há a cultura de que aquários existem para educar o público sobre animais. Porém, o que realmente fazem é passar a mensagem errada de que é aceitável manter animais em cativeiro, roubados de seu habitat natural para viverem solitários, entediados e forçados a trabalhar - apenas para diversão humana.

Como isso pode ser considerado educacional?


VOCÊ PODE AJUDAR OS ANIMAIS!

Da próxima vez que você procurar uma atividade para se divertir no fim-de-semana, deixe os aquários fora de sua lista e vá para a praia em vez disso. 


Você pode ajudar animais aterrorizados presos em prisões de vidro, explicando a seus amigos e familiares por que eles devem evitar aquários, também.


Tradução / Texto: Laura Kim

Fonte: PETA