ORGÂNICOS


MITOS DOS ORGÂNICOS E "FREE-RANGE" (SEM GAIOLA)

Não se deixe enganar por embalagens de carne, ovos e laticínios com fotos de animais felizes correndo em celeiros e fazendas familiares, com rótulos "orgânico" ou "free-range".

Animais em fazendas orgânicas e "free-range" muitas vezes passam muito do seu tempo confinados a galpões lotados e cheios de lama, assim como animais em fazendas convencionais. Embora o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) exija que animais de fazendas "sem gaiola" tenham acesso a áreas externas, não especifica quanto tempo ou espaço eles devem ter.




CARNE ORGÂNICA

Vacas em fazendas leiteiras orgânicas podem ser mantidas em galpões lotados, atoladas em seus próprios resíduos, bem como vacas em fazendas leiteiras comuns. Elas também são artificialmente inseminadas todos os anos, numa violação de sua natureza, e seus bezerros arrebatados logo após o nascimento.

As vacas em fazendas orgânicas muitas vezes não recebem antibióticos - mesmo quando estão doentes ou quando seus úteros estão infectados, o que acontece com freqüência - porque animais medicados perdem seu status de "orgânico".


MÉTODOS CRUÉIS ORGÂNICOS

Os animais em fazendas orgânicas e "free-range" freqüentemente sofrem as mesmas cruéis mutilações - como debicagem, descornagem e castração sem analgésicos - como animais em fazendas convencionais:

  • o gado, por exemplo, geralmente tem seus chifres e testículos cortados, e são marcados com ferro quente;
  • porcos em fazendas orgânicas também têm suas caudas cortadas e suas orelhas entalhadas, e alguns têm anéis forçosamente colocados em seus narizes sensíveis, a fim de evitar que eles enraízem na grama e sujeira - um passatempo favorito desses inocentes animais;
  • galinhas em fazendas de ovos orgânicos têm de 1/3 a 2/3 de seus bicos sensíveis cortados, o que provoca extrema dor aguda e crônica.

No final de suas vidas miseráveis, esses animais são normalmente enviados em caminhões através de todos os extremos climáticos - sempre sem comida, água ou descanso - para os mesmos matadouros usados ​​pelas fazendas industriais. Lá, são pendurados de cabeça para baixo e suas gargantas são cortadas, muitas vezes enquanto eles ainda estão conscientes e lutando para escapar.

Muitas galinhas ainda são capazes de sentir dor quando são submersas na água escaldante dos tanques, e as vacas podem estar conscientes enquanto seus corpos são retalhados.


ORGÂNICOS SÃO REALMENTE MAIS SAUDÁVEIS?

O Departamento de Agricultura dos EUA não faz nenhuma afirmação que o alimento produzido organicamente é mais seguro ou mais nutritivo do que o alimento produzido convencionalmente.

Ovos, leite, carne "naturais" e "livres" são responsáveis pelo entupimento das artérias do corpo humano por causa da gordura saturada e colesterol, assim como carne, leite e ovos convencionais. Estudos após estudos apontam o consumo de alimentos derivados de animais para doenças cardíacas, cânceres e outros problemas de saúde graves.

Animais orgânicos e "sem gaiola" também são criados em condições de aglomeração, vivendo sobre seus próprios excrementos, e mortos nos mesmos matadouros imundos como animais de fazendas industriais. As chances de sua carne estar contaminada com bactérias e outros agentes patogênicos é muito maior do que a carne não orgânica, uma vez que animal medicado perde o certificado orgânico.




ALTERNATIVAS

Da galinha "livre" que inspira ar fresco pela primeira vez em seu caminho para o matadouro, à vaca com tratamento "humanitário", cujo bezerro macho é tirado dela e vendido aos fazendeiros de vitela, todos os animais criados para alimentação sofrem.  

Os únicos alimentos verdadeiramente humanos são aqueles que não vêm de animais: alternativas veganas à carne, ovos e produtos lácteos. Encontre receitas veganas na internet e também aqui neste site.

É mais fácil do que você imagina fazer uma transição para uma alimentação saudável e totalmente livre de crueldade!


Texto/Tradução: Laura Kim
Fonte: PETA